terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Abóbora japonesa

Adoro as diferenças! Sempre que faço um dip de abóbora, uso a abóbora comum. Talvez porque costumo tê-la na a mão para o suco da luz do sol. Dessa vez, fiz com a japonesa, que é mais firme, tem uma cor especial e um sabor tão diferente, que se fechar os olhos, fico na dúvida se é mesmo uma abóbora. Parece que ela nasceu para fazer dips! Perfeita!

Dip de Abóbora japonesa:

Ingredientes:
250gr de abóbora japonesa
2 damascos
1 dt de alho pequeno
1 pé de coentro inteiro
1 colher de café de sal marinho
1/4 xícara de azeite
Modo de fazer:
Bater tudo num liquidificador sem acrescentar água. Se o seu liquidificador não tem um pilão, use uma cenoura para ajudar. Servir com pâo dos essênios.

9 comentários:

Michele Maia disse...

Inês, que lindo!!! Fiquei com água na boca.
A beleza do prato e a foto ficaram DIVINAS!
Parabéns!
Bjão

Inês Braconnot disse...

Obrigada, querida!! Precisamos nos encontrar para comermos juntas!Bjjs,Inês

Michele Maia disse...

Só se você cozinhar!!! rsrsrsrsrs

Michele Maia disse...

Ou melhor, cruzinhar!

Paula Soveral disse...

adorei, vou experimentar este fim de semana! embora aqui no Inverno não apeteça muito comida crua, mas não resisto!
a minha alimentação é macrobiótica vegetariana, mas 70% do que como é cru! Tb dou aulas de culinária Ayurvédica, mas não uso nenhum produto de origem animal na m/alimentação; gosto dos cereais cozinhados, sobretudo o millet, a quinoa e o amaranto, e não consigo germiná-los!!!!
Obrigada, Paula

Inês Braconnot disse...

Michele, vamos kruzinhar juntas!!!me manda um e-mail para combinarmos!Bjjs, Ines


Paula, os chineses acham que o melhor eh tomar sorvete no inverno...rsrsr
Das tres sementes que mencionou, a quinoa eh a que costumo usar e aqui germina bem rapido. Gosto dela fermentada e batida com limao e passas.Abra;os, Ines (estou sem acentos no teclado)

Filipe Freitas disse...

Inês, que blog lindo! Dá água na boca! Ainda que eu seja bem apegado a um aipim, batata, batata-doce, etc... que não sei como fazer se não cozinhá-los... seus pratos inspiram uma alimentação Krud! Quiçá eu possa aprender mais contigo ;-) Um grande beijo, até mais ver!

Thiago Lopes disse...

Ines parabens pelo seu blog. Uma idéia seria colocar marcadores ou um sistema de procura nelee para ficar mais facil achar as receitas. Continue com essa alimentação tão bonita que é a viva. Viva os vivos!

carmen disse...

olá Inês, seu blog é inspirador, parabéns!! estamos todos unidos nessa caminhada da Alimentação Viva, sempre apendendo uns com os outros. como vc fermenta a quinoa? é só germiná-la? vc já realizou o curso da AViva fora do RJ? continua o convite p/ realizarmos algum trabalho juntas em brasília.
saudações........ Carmen Gontijo